Social Icons

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

[Review/Indie] Transistor



Transistor é um RPG de ação e estratégia desenvolvido pela Supergiant Games, disponível para PC, OS X, Linux e PS4.


Nele você controla Red, uma cantora famosa da cidade Cloudbank que é atacada por um grupo chamado Camerata e acaba perdendo sua voz. O jogo começa com ela ao lado de uma  espécie de espada falante chamada Transistor e de um homem morto por essa espada. A partir daí, os dois passam a explorar Cloudbank atrás de respostas do porquê foram atacados pelo grupo enquanto lutam contra o Processo, que são robôs controlados pelo Camerata.


A história é meio confusa, mas a forma como ela é passada é muito boa e interessante, prendendo o jogador. Porém eu aconselho que leiam tudo o que estiver nos terminais espalhados pelo jogo, já que dão informações extras da história ou do contexto em que o enredo se desenrola.


As batalhas são muito bem feitas e divertidas. Você pode equipar ações chamadas de Funções (fazendo menção a programação) em 4 slots diferentes para servirem de ações na batalha, outras 4 para servirem de habilidades passivas e outras 8, 2 em cada ação de combate, para adicionar efeitos especiais nessas habilidades.


Você pode tanto utilizar essas ações em tempo real, ou então usá-las dentro de um modo estratégico chamado de Turn(), onde você "programa" que ações fazer ou para onde andar dentro de um limite. Esse modo também tem seu uso limitado, tendo que esperar um tempo para poder usá-lo de novo, porém é extremamente útil, principalmente quando se está em apuros ou quando desejar matar vários inimigos com poucas ações bem pensadas.


Além disso existem outros elementos comuns em RPGs, como HP, Experiência, Levels, tudo isso. Porém, ao perder toda a barra de HP, um de seus slots de ação é quebrado e você ganha uma outra barra de HP, dando Game Over quando os 4 slots de ação foram quebrados, ou seja, quando você não tiver mais como agir na batalha.


Quanto à arte, ela é extremamente linda. Utilizando perspectiva isométrica, os ambientes são extremamente bem feitos e detalhados, com uma ótima iluminação. As animações dos inimigos e da Red são também ótimas.


A trilha sonora também é um ponto muito alto do jogo, ótima qualidade e variedade, com várias músicas pra se desbloquear em uma sala de testes "secreta" do jogo. A dublagem também é decente.


É uma experiência muito boa e que vale a pena dar uma conferida, apesar de ser um pouco confuso e curto. Com certeza um dos melhores jogos indies que eu já joguei.

Nota 10/10

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante!

Você é muito bem vindo para comentar no nosso blog, contudo, pedimos que respeite os demais usuários e não utilizem palavras de baixo calão!

Obrigado,
Equipe Games com Limão!

 

Seguidores